Arquivo da tag: Segunda Sem Carne

Segunda Sem Carne – 24/05/10

Leia a Carta de Paul McCartney sobre a #segundasemcarne com referências ao Brasil.

O Segunda Sem Carne de hoje é mais do que especial, é mágico. Bati um bom papo pela internet com a Gabi Veiga, bióloga, criadora do projeto Hábitos e Habitat e integrante do Teatro Mágico, um projeto que reúne elementos do circo, teatro, poesia, música, literatura, política e cancioneiro popular. Já são mais de 190 mil CD’s vendidos com espetáculos que vão muito além da música.

O Hábitos e Habitat surgiu a partir do momento em que ela percebeu que pessoas estavam aderindo ao vegetarianismo por sua causa, lhe pedindo dicas e tirando dúvidas. Gabi gravou então um documentário que dialoga com quem está entrando para o movimento. A ideia cresceu e ganhou site, com notícias, receitas, fotos, etc, e em seguida surgiram  as oportunidades de palestrar sobre o assunto. Você pode fazer o download gratuito do documentário neste link aqui.

Sobre o Teatro Mágico, que dispensa apresentações, Gabi contou que também há a influência dos FAB, ainda mais com as causas defendidas por Paul McCartney em sua luta pelos animais. Os integrantes são, assim como o Beatle, ARTIVISTAS, maneira como ela chama os artistas que levantam alguma bandeira em prol do planeta. Recentemente, a banda  fez dois importantes shows em defesa dos animais e do meio ambiente. O ANDA – Música e Consciência, ao lado de outros grandes artistas, e o lançamento da Campanha Segunda Sem Carne em Belo Horizonte.

Desde quando você é vegetariana?

Sou vegetariana há 11 anos. Comecei depois de assistir alguns filmes que mostravam crueldades com animais, criei uma empatia muito forte com os seres que não podem se defender. Depois de alguns anos, decidi fazer faculdade de Biologia, o que me possibilitou aprofundar mais meus conhecimentos sobre a indústria da carne. Passei a não comer carne não apenas pelos animais, mas também por todo o impacto causado pela indústria, pela “mega” produção necessária para abastecer o mundo.

Qual a sua relação com o movimento Segunda Sem Carne?

Bom, a relação que tenho e quero continuar tendo com a Campanha é de potencializá-la. Acredito que é uma campanha civilzatória, a partir do momento em que ela não doutrina, nem obriga ninguém a levantar uma bandeira. Ela mostra como é possível ajudar os animais e o meio ambiente se não comermos carne apenas uma vez por semana. A vejo como um primeiro passo para aqueles que têm o potencial de fazer com que o caos ambiental atual, que provém do desmatamento, queimadas da indústria da carne, diminua. Esta campanha é inteligente, pois convida as pessoas a pensar e fazer sua parte pelo Planeta!

Como conheceu o Segunda Sem Carne?

Um belo dia tive uma idéia conversando com um amigo meu, Leandro do coletivo Odeio Rodeio e Ativismo.com, e a idéia era dialogarmos com o público, no caso diretamente com o público do Teatro Mágico. Disse a ele que achava interessante fazermos uma campanha do Hábitos e Habitat para que as pessoas reduzissem o consumo de carne… Foi aí então que ele me disse: “essa Campanha já existe”, é a Segunda sem Carne! Me passou o contato da Marly Wickler (fundadora do movimento no Brasil) e decidi apoiar a campanha, fazer pré-lançamentos nos shows do Teatro Mágico para potencializá-la. E assim firmamos uma aliança – Hábitos e Habitat e SVB.

Os outros integrantes do Teatro Mágico também aderiram à Campanha?

A maioria aderiu ao Segunda Sem Carne. O Fernando Anitelli reduziu muito seu consumo e  o Galdino, violinista, é vegetariano!

Como foi participar do ANDA?

Nós do teatro Mágico temos sempre uma militância por trás dos shows. Muitos artistas renomados participaram do ANDA, o 1° show no Brasil pelos animais e pelo planeta: Renato Teixeira, Patricia Marx, Fernanda Porto, Nuno Mindeles, Palavra Cantada e TM. Foi um momento importante, pois somamos nossa luta com outros artistas e outro Coletivo em prol de uma causa maravilhosa, os animais e o planeta. Foi um marco na nossa história!

E o show de lançamento da Campanha em Belo Horizonte?

Como eu sempre digo: transformamos o palco no nosso local de militância e o show que fizemos em BH foi um ATO/SHOW! Conheço muitos ativistas do Mov. Mineiro pelos Direitos  Animais e, quando cheguei na cidade, eles me levaram para ver a situação do Mercado Central, mais especificamente, do corredor de comércio de animais. Isso mexeu comigo, decidi fazer o pré-lançamento da Campanha Segunda Sem Carne em BH para despertarmos a preocupação do público tanto com relação aos animais quanto à indústria da carne e mostrar como eles podem ajudar e não compartilhar com certas injustiças que acontecem no processo todo do alimento até que ele chegue no nosso prato.

E a reação do público?

Receptiva, no geral. Muitas pessoas reagiram na hora com aplausos, com atenção e muitas outras se manifestaram depois do show, virtualmente, dizendo que tinham aderido a campanha! Um ótimo resultado!

Acha que falta algo para campanha deslanchar no Brasil?

Bom, já temos o apoio da Secretaria do Verde e do Meio Ambiente, de grandes coletivos em prol dos animais, como Instituto Nina Rosa, ANDA, e vimos bons resultados com esses apoios, porém acredito que se, além desses apoiadores, tivéssemos mais artistas envolvidos, seria uma soma considerável na Campanha. Conversando com Marly, presidente da SVB e idealizadora da Campanha no Brasil, vimos pouquíssimos artistas que possuem um envolvimento político ou aderem a alguma causa, tivemos dificuldade de nos comunicarmos com pessoas envolvidas com arte. O que eu quis dizer é que se mais artistas do Brasil usassem a arte como ferramenta de conscientização, teríamos uma campanha mais forte. acredito na força da arte quando se trata de uma transformação ou revolução.

Qual seu conselho para galera que lê o blog?

O conselho é não deixarem nunca de questionarem e de criticarem. E que se acreditam em alguma transformação na nossa realidade ambiental atual, que entrem com mias força no Mov. do Vegetrianismo, pois temos potencial para repensarmos nossos consumos e fazermos a diferença!

Receita do Dia – Moqueca de Palmito

Não poderia ser diferente: a receita de hoje é a indicação da própria Gabi!

Ingredientes:

3 cebolas médias, 6 tomates
2 dentes de alho
1 maço de coentro
½ litro de leite de coco
azeite de dendê
1 vidro grande de palmito
1 pimentão
sal a gosto
farinha de mandioca fina
arroz branco para acompanhar

Modo de preparo:

Cortar a cebola, o tomate e o pimentão em rodelas socar o alho e colocar um pouco de óleo na panela. Coloque o alho, quando começar a dourar, jogar a cebola. Quando a cebola começar a cozinhar, jogar tomate. Colocar um pouco de água para o molho, quando o molho começar a pegar cor, jogar o pimentão formando assim, um molho tipo cachorro quente. Em seguida um copo de leite de coco e os palmitos cuidadosamente na panela. Quando começar a ferver, jogar uma colher de sopa de dendê e em seguida coentro. Mais um copo de leite de coco, tampar a panela, deixar cozinhar o palmito e está pronto. Comer com arroz branco e farofa branca ou farofa de dendê.

E em homenagem final à uma das artistas brasileiras mais engajadas pelas causas do planeta, a trilha sonora desse post é a Beatle-música favorita dela! Valeu, Gabi!

“Aquela que começa com Something in the way she moves….”

Por João Resende e Elaine C A Barborsa

Anúncios

#Segunda Sem Carne – 17/05/10

Gripe:

s. f. Med. Doença epidêmica ou pandêmica, muito contagiosa, causada por um vírus, e cujos sintomas são geralmente febre, dores corporais e congestionamento das vias respiratórias.

Eu chamaria de ‘inferno que nos deixa mal a ponto de não conseguir balançar a cabeça ao som de Twist and Shout’. Mas o fato é que esta que vos escreve hoje, em plena segundona, sofre do mal do vírus Influenza…

E pra quem leu o belo post que o João fez sobre os mandamentos para a convivência com os vegetarianos, não vale vir com o ‘aaaah, mas está gripada porque só come alface, tá desnutrida a menina!’

Vegetariano ou não, vamos aproveitar a #SegundaSemCarne para umas diquinhas sobre o que fazer para se recuperar rápido desses sintomas chatos? Afinal o inverno tá chegando, e daqui a pouco será comum andar por aí  ao estilo de Paul McCartney em Magical Mystery Tour:

Talvez seja a hora de procurar o Doctor Robert...

#SegundaSemCarne e Sem vírus:

Receitinha básica pra reforçar a vitamina C e mandar os anticorpos pra guerra:

O que evitar

Há pesquisas que apontam que os vírus se beneficiam de ambientes mais ácidos. E alguns alimentos que ingerimos fazem com que a acidez no sangue aumente, tornando nosso sistema circulatório o hotel ideal para os vírus do mal. Que alimentos são esses?

– alimentos industrializados ou processados

– açúcar branco (presente em doces, pães e refrigerantes)

– carne vermelha e embutidos

– leite e derivados

– álcool (é… não vale tentar ‘esterilizar’ o corpo com vodka!)

– farinhas brancas

O que consumir:

– Açúcar mascavo ou mel (este último ainda possui propriedades cicatrizantes, e pode ajudar nas dores de garganta)

– Leite de soja (cálcio é importante, e muitos desses leites ainda recebem doses reforçadas de vitamina C, A, E e D, além de ferro, que contribui para o transporte das vitaminas no sangue, ajudando o corpo a se recuperar mais rápido)

– Água, chás e suco natural de frutas (beber bastante líquido é importante para manter as vias respiratórias hidratadas e ajudar no sistema circulatório. Os sucos naturais ainda tem vitaminas variadas. ABUSE sem moderação)

– Soja, arroz integral e aveia (esta última é fonte de beta-glucana, um grande estimulador do mecanismo de defesa)

– Vegetais folhosos como couve, acelga, espinafre e agrião.

Receitinha de chá reforçado:

– Uma laranja sem casca

– Um limão sem casca

– Gengibre cortado em pedacinhos

– Cascas de maçã

– Mel a gosto.

Ferva todos os ingredientes sem o mel em uma panela fechada (para ajudar a preservar a vitamina C presente nas frutas cítricas). Depois da fervura, desligue o fogo e deixe a panela tampada por cerca de dez minutos. Sirva, e adoce com mel. Vai ajudar na tosse chata e na voz de Pato Donald.

E lembre que cortando a carne e os derivados de leite do cardápio um dia na semana, você estará diminuindo a acidez do seu sangue, e os vírus vão preferir se instalar em outro canto…

Agora vou ali beber meu chazinho, comer minha soja e meu espinafre, beber mais água, que quero me recuperar logo 🙂

Para quem quer saber mais sobre o #SegundaSemCarne, vale a pena ler a Carta de Paul McCartney sobre a #segundasemcarne com referências ao Brasil.

..

Por Elaine C A Barbosa.


#SegundaSemCarne – 26/04/10

Leia a carta de Paul McCartney sobre a #segundasemcarne com referências ao Brasil.

Estamos em mais uma #segundasemcarne e hoje eu presto uma homenagem aos meus amigos vegetarinos. O texto é de Alison Green, a tradução foi feita por Mirian M. Costa, e eu retirei do site Alimentação sem Carne. São equívocos comuns que nós, devoradores de carne cometemos em relação ao vegan way of life. Eu mesmo já cometi uma porção deles com amigos como a @layninha, a @mariahvask e seu namorado, Marcelo Marques, baterista da minha banda.

Os 10 mandamentos para carnívoros que convivem com vegetariano

1- Não pense que os vegetarianos são espartanos que se alimentam de cenouras cruas e brotos de feijão.

A pergunta que mais ouço é “O que você come?” Esta me deixa desconcertada; o que pode responder uma pessoa que tem uma dieta razoavelmente variada? Eu como espaguete, refogados, humus, cozidos, sorvete de framboesa, minestrone, saladas, burritos de feijão, bolo de gengibre, lentilha, lasanha, espetinhos de tofu, waffles, hambúrgueres vegetarianos, alcachofras, tacos, bagels, arroz com açafrão, musselina de limão, risoto de cogumelos silvestres — o que você come?

2- Aprenda um pouco de biologia.

Eu ainda não sei bem o que fazer com pessoas que são inteligentes sob outros aspectos mas acham que uma galinha não é um animal. Só para constar, vegetarianismo significa não consumir carne vermelha, aves, ou peixe — nada que tenha um rosto. Já perdi a conta das vezes em que garçons sugeriram um prato de frutos do mar como entrada “vegetariana”.

3- Principalmente se as pessoas forem vegetarianas por razões éticas, não julgue que elas não se importarão com “só um pouquinho” de carne em sua refeição.

Você aceitaria “só um pouquinho” de seu gato, ou “um bocadinho” do Tio Jim em sua sopa?

4- Deixe de fazer lobby para a indústria da carne.

Parece que os carnívoros pensam que os vegetarianos são como as pessoas que fazem regime e que nós queremos trapacear de vez em quando. Meu pai tem certeza de que se ele conseguir me convencer que sua carne enlatada é uma delícia, eu vou ceder e comê-la. Amigos tentam me fazer experimentar “só um pedacinho” de qualquer prato com carne que eles estejam comendo, partindo da premissa de que é tão bom que é impossível que eu recuse. Há vezes em que penso que os carnívoros aprenderam a fazer pressão com os caras malvados dos filmes anti-drogas que nós assistíamos no ginásio. Ouçam bem: não precisam insistir dizendo que é “ótimo”, nós não vamos comer.

5- Quando um vegetariano fica doente, não diga a ele ou a ela que está desnutrido.

Dos comentários que ouvi quando tive gripe, vocês pensariam que os carnívoros nunca ficam doentes. Quando eu fico doente, tem sempre alguém esperando para me dizer que é por causa da minha dieta. Na verdade, da mesma forma que existem carnívoros saudáveis e doentes, há vegetarianos saudáveis e doentes. (Por falar nisso, estudos demonstraram que os vegetarianos tem o sistema imunológico mais resistente do que os carnívoros.)

6- Quando estiverem em um restaurante com um vegetariano, tenham paciência — comer fora pode ser um desafio mesmo para o mais consumado vegetariano.

Apesar da aceitação em voga da dieta à base de vegetais, a maior parte dos cardápios de restaurantes ainda está repleta de produtos animais. Alguns restaurantes parecem não ter nada a não ser carne em seus cardápios; mesmo as saladas têm ovos ou frango! Não reclamem se seus esforços para determinar os ingredientes exatos do minestrone parecerem paranóia; a experiência nos ensinou que esses interrogatórios à mesa são necessários. Após anos interrogando garçons e garçonetes, descobri que itens descritos como vegetarianos muitas vezes contém caldo de galinha, banha, ovos, ou outros ingredientes animais.

7- Não façam caretas para nossos alimentos.

Antes de torcerem o nariz para meu cachorro-quente de soja ou para o tofu, pensem naquilo que vocês estão comendo. Só porque se alimentar de animais é amplamente aceito, isso não significa que não seja uma grosseria.

8- Percebam que nós provavelmente já ouvimos isso antes.

Uma das coisas mais engraçadas sobre ser veg é a pessoa que tem certeza de ter o argumento que vai mudar minha maneira de pensar. Quase que invariavelmente vêem como uma destas jóias:

(a) “Animais comem outros animais, portanto porque os seres humanos não o fariam?” (Resposta: A maior parte dos animais que mata para se alimentar não sobreviveria se não o fizesse. Esse obviamente não é o caso com os seres humanos. E desde quando usamos os animais como exemplo de comportamento?)

(b) “Nossos ancestrais comiam carne.” (Resposta: Talvez — mas eles também moravam em cavernas, conversavam aos grunhidos, e tinham escolhas muito limitadas de estilo de vida. Supõe-se que nós já tenhamos evoluído desde aquela época.)

9- Apesar da opinião popular, vocês não têm o direito de esperar que os vegetarianos transijam convicções pessoais em nome da “cortesia”.

Pessoas que nunca sonhariam em convidar um alcoólatra recuperado para experimentar sua vodca preferida, ou em querer que alguém que levasse uma vida kosher aceitasse um pouco de bacon, acham perfeitamente razoável esperar que eu coma o bolo de carne da tia Maria porque eu o adorava quando criança e ela ficaria muito ofendida se eu não aceitasse um pouco agora.

10- Parem de dizer que os seres humanos “precisam” comer carne;

Nós somos a prova viva de que não precisam. Pessoas que sob outros aspectos respeitam minha capacidade de me cuidar recusam-se a acreditar que não tomei a decisão de me tornar vegetariana impulsivamente. Eu fiz muita pesquisa sobre o vegetarianismo — provavelmente mais do que vocês fizeram sobre dieta e nutrição — e estou confiante da escolha que fiz. Vocês conhecem os estudos que demonstram que os carnívoros tem duas vezes mais possibilidade de morrer de problemas cardíacos, 60% mais chance de morrer de câncer e 30% a mais de possibilidade de morrer de outras doenças? Eu não estaria comendo desta maneira se uma extensa pesquisa não tivesse me convencido de que o vegetarianismo é mais saudável e mais ético do que comer carne; uma pergunta mais pertinente seria se você pode justificar a sua dieta.

Aprendida a lição? Eu, como um vegetarianos de segunda prometo me dedicar a não vacilar mais nesses pontos! Então vamos para a Receita do dia!

Lasanha de Queijo com Legumes

Ingredientes:

½ pacote de lasanha seca
2 xícaras  de mussarela ralada
¼ xícara de manjericão
½ colher (chá) de pimenta-do-reino
½ colher (chá) de noz-moscada
2 colheres (sopa) de queijo ralado
2 colheres (sopa) de orégano
2 colheres (sopa) de tomilho
250 gramas de champignon
300 gramas de espinafre
300 gramas de ricota
4 dentes de alho
3 abobrinhas
8 tomates
1 cebola
2 claras
sal

Modo de Preparo:

Molho: Em uma panela, misturar a cebola, os tomates, o manjericão, o tomilho e o orégano e deixar em fogo médio ate levantar fervura, reduzir o fogo e deixar cozinhar lentamente, sem tampar, por aproximadamente 10 minutos até o molho engrossar. Retirar do fogo e reservar. Preparar a Mistura: Colocar num processador, o alho, o espinafre, a ricota, a metade da mussarela, as claras, a noz-moscada e a pimenta. Processe até obter uma massa homogênea. Reservar. Massa da Lasanha: Colocar a água para ferver em uma panela grande. Adicionar a massa e cozinhar de acordo com as recomendações da embalagem ou até ficar al dente. Escorrer. Preparando a Lasanha: Untar uma travessa refratária com óleo. Colocar uma camada de massa de lasanha e por cima, distribua, 1/3 da mistura de espinafre, das fatias de abobrinha, dos champignons e do molho de tomate. Fazer mais 2 camadas, cobrindo a última com massa de lasanha. Por cima, colocar o molho de tomate e a mussarela restante. Salpicar com o queijo ralado. Levar para assar no forno a 180ºC, sem cobrir, até que se formem bolhas e a superfície esteja dourada (aproximadamente 45 minutos). Deixar esfriar por 10 minutos antes de cortar.

FONTE

Moleza, hein? Pegue emprestado já os instrumentos que sua mãe ou pai usa na cozinha e mãos à obra. Mas não vale lambuzar a cozinha. E cuidado ao mexer em facas! Ok, Chega! Já tô parecendo sua mãe…

Por João Resende

Segunda Sem Carne – 19/04/2010

Leia a carta de Paul McCartney sobre a #segundasemcarne com referências ao Brasil

Segunda-feira = Mau humor???

The world is treating me bad... Misery!

Uma das coisas que sempre me perguntam quando comento da #SegundaSemCarne é por que raios o dia escolhido para cortar a carne do cardápio é justamente o dia que a maioria das pessoas quer cortar do calendário.

Eu não sou uma grande fã de segundas-feiras e só não tenho a conhecida depressão da musiquinha do Fantástico porque ouço música mais animada. Há!

Mas além do motivo que o Paul mesmo nos deu, de usar a segunda-feira para queimar calorias acumuladas no final de semana, querem um motivo melhor que usar o dia internacional do mau humor para… melhorar o humor???

Oi? Elaine? Como assim?

Simples. Vamos aproveitar alguns alimentos reconhecidos por promover o bom humor e montar um cardápio esperto para a segundona:

Segunda Sem Carne e Sem Mau humor

Café da manhã

1 copo de suco misto de limão e laranja.

Biscoitos Água e Sal

Queijo Branco

Uvas vermelhas.

Almoço

Arroz

Lentilha (além de mais proteína e ferro, ajuda a dar um ‘up’ no astral 🙂 )

Uma porção de salada de vegetais de cor verde-escura (alface, rúcula, agrião, espinafre, brócolis)

Uma porção de salada de legumes (batata, cenoura, beterraba, abobrinha) com azeite, orégano e sal

Sobremesa: Chocolate meio amargo ou qualquer um ‘dark’ (aqueles com mais cacau na composição)

Lanche

Suco de cenoura, laranja, limão, gengibre e hortelã, adoçado com mel (se o lanche for antes das 17:00,  pode acrescentar um pouquinho de pó de guaraná. Depois desse horário, evite, porque ele é energético e pode fazer sua segunda durar até terça! Imagina o terror!)

1 banana, ou uma porção de morangos.

Jantar

Salada de alface e tomate cereja

Arroz

Brócolis refogado com ricota e pimenta do reino (Refogue o brócolis no alho, azeite e sal, junte a ricota amassada com um garfo e a pimenta)

1 fatia de abacaxi e uma laranja

Todos esses alimentos tem propriedades reconhecidas por doar energia e aumentar o bom humor. Mulheres na TPM, homens que não tiveram seus times bem nos campeonatos (eu não falo nada porque meu F.C. Porto ganhou de 3 a 0 ontem – Rá) e pessoas ao redor do mundo com síndrome de Garfield, aproveitem… Depois me contem se a segunda sem carne também foi uma segunda sem mau humor 🙂

 

Don't you think the joker laughs at you?

Por Elaine C A Barbosa


#SegundaSemCarne – 12/04/10

Leia a carta de Paul McCartney sobre a #segundasemcarne com referências ao Brasil

Plantão #SegundaSemCarne informa: essa que vos escreve não postou receitinha pra hora do almoço porque tá do lado das minorias. Nas minorias que apresentaram reação negativa à vacina contra H1N1. Falando nisso, aproveito para prestar serviço à saúde pública e lembro aos queridos leitores de 20 a 29 anos que vocês tem até o dia 23 de abril para tomar a vacina. Mais informações aqui.

Falando em saúde… Como foram de #SegundaSemCarne ??? Espero que tenham lembrado do recadinho esperto do Paul:

 

 

 

Ao menos na segunda...

E pra quem seguiu nossa campanha até o momento, vai uma receitinha simples e rapidinha, pra dar tempo de comer alguma coisa diferente ainda no jantar. Vamos lá?

So take a piece, but not too much... Torta de legumes

Ingredientes da Massa

 3 ovos

2 copos de leite

2 copos de farinha de trigo

1 copo de óleo

1 colher de fermento em pó

1 pacote de queijo ralado

sal

Recheio

Essa é a parte mais divertida, porque o recheio pode ser o que você bem preferir, desde que não tenha carne, tá? 😉

O meu receito favorito é: Brócolis, milho, palmito, cenoura, tomate, salsinha, cebolinha, alho e cebola.

Modo de preparo:

Refogue o brócolis a cenoura e o tomate cortados em cubinhos, em uma frigideira com azeite, o alho e a cebola. Retire do fogo e junte o palmito, o milho, a salsinha e a cebolinha. Reserve.

Bata todos os ingredientes da massa no liquidificador, até obter uma massa bem líquida. (Sim, parece que não vai dar em nada, eu assustei da primeira vez 🙂  )

Despeje metade da massa numa assadeira untada com margarina e farinha. Distribua o recheio por toda a assadeira. Cubra com o restante da massa. Leve ao forno quente por aproximadamente 40 minutos (até a torta ficar douradinha… Gooooooooolden Slumbers… ok. Entenderam!)

Pronto.

..

Fácil, né? Então bom restinho de #SegundaSemCarne a todo mundo, que eu vou comer direitinho pra reagir à reação (Newton mandou um oi) da vacina… Beijinhos!

Por Elaine C A Barbosa

Segunda Sem Carne – 05/04/10

Leia a carta de Paul McCartney sobre a #segundasemcarne com referências ao Brasil

So take a piece but not too much...

Eu sei. Ontem foi domingo de Páscoa. Deve ter baixado o espírito Eric Clapton e uma caixa de  Savoy Truffle foi pouco. Aí hoje, Segunda, bate o peso na consciência… Então temos duas opções: 1. Assumir como hino oficial a Carry That Weight 2. Aproveitar que é segunda-feira e procurar uma alimentação mais leve, saudável e ambientalmente consciente 😉

Embora a primeira seja uma excelente música, vamos para a segunda opção que tem o apoio do Sir Paul McCartney…
.
Lembrando a todos, hoje é o dia do desafio de experimentar outros sabores. Pelas pessoas, pelos animais, pelo Planeta. Que tal seguir um cardápio especial isento de carne e que, de quebra, ainda ajude a eliminar esses excessos todos de feriado?

Segunda Sem Carne e Sem Culpa

.

Café da Manhã

Uma fatia pão integral + requeijão + uma fatia fina de queijo branco ou tofu.

Mamão.

Suco de laranja.

Lanchinho

Banana com aveia e linhaça

Almoço

Salada bem variada (sugestão: alface, rúcula, tomate, agrião, cenoura e semente de linhaça), temperada com um fio de azeite

Brócolis refogado em um pouco de alho (cuidado com o sal)

Uma laranja ou uma porção de melancia

Uma xícara de chá verde ou branco

Lanchinho

Suco de frutas: abacaxi (depurativo) + morango (diurético) + hortelã (refrescante)

Jantar

Sopa de legumes (batata, cenoura, acelga, tomate, salsinha, cebolinha, cebola e alho).

Milho verde cozido

Uma xícara de chá de hortelã ou camomila (evite o chá verde, que tem muita cafeína e ninguém que ter insônia na segundona, né?)

Antes de dormir

Vale um chá de qualquer erva e uns dois biscoitos água e sal…

Um dia sem carne e mais leve pra todo mundo 🙂

E para os magros de ruim, opa, sem peso na consciência, vale a velha dica de cortar a carne, desde que seja do cardápio por hoje, beleza?

Opa! To dentro...

Por Elaine C A Barbosa

 

# Dia Mundial Sem Carne

Leia a carta de Paul McCartney sobre a #segundasemcarne com referências ao Brasil.

Oi pessoal!

Hoje quem escreve aqui sou eu, Elaine, beatlemaníaca como vocês, vegetariana como Paul McCartney. A partir de hoje topo o desafio de trazer receitas, curiosidades, notícias e dicas pra que a Segunda Sem Carne de cada um fique mais divertida…. Vambora?

Ah, sim. Nesse momento deve estar todo mundo se perguntando “Ué?! Mas essa Elaine já chegou bagunçando tudo mesmo, hoje nem é segunda-feira!!!” Não é mesmo. Mas hoje é o #Dia Mundial Sem Carne!!! Por isso a edição extraordinária da coluna 🙂

Vocês que já acompanham a coluna sabem que a Segunda Sem Carne é a campanha brazuca que acompanha os esforços do movimento Meat Free Monday, que rola em vários países e que foi lançada oficialmente no Reino Unido no ano passado, pela família McCartney e amigos. O desafio: cortar a carne (do cardápio, vejam bem!) às segundas e descobrir novos sabores.

Com a palavra, Paulie (a gente pode tratar com intimidade, a gente tá no mesmo submarino barco 🙂 )

Oi pessoal!

Bem-vindos ao “Paul McCartney.com”  e sou eu mesmo falando pra vocês…

Escutem, estamos lançando uma campanha, minha família e eu, chamada “Segunda Sem Carne”, que será lançada no Reino Unido no dia 15 de Junho*. Esta campanha já está acontecendo nos Estados Unidos e na Austrália.

O que é isso? Trata-se , basicamente, de encorajar as pessoas a não comer carne às Segundas-Feiras.

Tem sido provado, sugerido, enfim, que se fizermos isso acontecer, teremos um enorme efeito benéfico no clima. Então, é uma coisa que você pode fazer pelo meio-ambiente.

É fácil colocar em prática. Sério: você já comeu demais durante o final de semana, e aí vai correr na academia pra tentar queimar isso tudo. Então, ter  apenas uma Segunda Sem Carne será uma ótima coisa pra se fazer.

Então, lembrando: vamos lançar a campanha no Reino Unido dia 15 de Junho…

Pense nisso… Se estiver interessado, procure por mais detalhes no site da campanha, que estará disponível em breve, e junte-se à nós nesse esforço: reduza o consumo de carne. Corte-a do seu cardápio às Segundas-Feiras.

MUITO OBRIGADO. Sério, agora o vídeo acaba mesmo…

* A campanha foi lançada oficialmente em 2009.

 

E o que o #Dia Mundial Sem Carne tem a ver com isso? Tudo!

Pra quem vem seguindo o desafio proposto pelo Sir McCartney de deixar de comer carne às segundas-feiras, já deve ter sentido diferenças positivas na disposição, na energia, ou mesmo naquele danado daquele grilo falante chamado consciência, certo? Pra quem ainda não sentiu nada disso, fica aqui a dica pra começar com a gente…

O desafio desse #Dia Mundial Sem Carne é reunir hoje, dia 20 de março de 2010, os esforços de todos os envolvidos nas campanhas ao redor do mundo e chamar a atenção das pessoas aos impactos positivos que um dia sem carne pode trazer para o clima, para os animais e para nós mesmos. Vale a pena visitar o site da campanha aqui no Brasil para saber que impactos são esses…

Pra quem, como o Paul e eu, já é vegetariano, o desafio especial de hoje é tentar não fazer uso de nada de origem animal (isso vale para ovos, leite e derivados, sapatos e roupas de couro…) Para os vegans convictos, a motivação está em trazer mais gente pra campanha… Que tal? Tem desafio pra todos os gostos…

Precisando de uma motivação extra?? Que tal conhecer o prato favorito do Paul, ensinado por ele mesmo, e tentar fazer em casa?

O Louro José não vem porque o lugar dele é na natureza, tá?

 

 

Spicy Refried Bean Tacos with Mexican Corn Bread

(Tacos de Feijão Apimentado com Broa de Milho)

  

 

 “Ah, Elaine. Gostei de ver o Paul no momento Ana Maria Braga, mas não rola uma receitinha em Português não?”

Opa, tem sim… Essa é a minha favorita e acompanha bem o Sábado, o jogo de futebol na tv e a cervejinha com os amigos…

 Antepasto de Berinjela

Ingredientes

3 berinjelas

3 pimentões ( vermelho, verde e amarelo)

Azeitonas pretas e verdes

1 cebola cortada em fatias médias

7 dentes de alho picados e fritos anteriormente (o ideal é que fique douradinho)

Sal e orégano

Azeite

Preparo 

Corte as berinjelas, com casca, em cubos pequenos. Coloque num refratário. Regue com azeite. Coloque por cima os pimentões cortados em fatias, a cebola, o alho e as azeitonas. Tempere com sal e orégano (cuidado com o sal, as azeitonas em conserva geralmente são bem salgadinhas…) Regue com mais azeite, cubra com papel alumínio e leve ao forno.

A cada quinze minutos, retire o refratário do forno e misture com cuidado todos os ingredientes. Repita até perceber que todos os ingredientes estão cozidos, regando com mais azeite se achar que a mistura está seca. E… pronto! Faça umas torradinhas (eu geralmente uso pão sírio, fica uma delícia), Dipas… O que achar que combine com a delícia aqui e aquela cervejinha gelada 🙂

Bom #Dia Mundial Sem Carne pra todos os beatlemaníacos!

“Ah, Elaine!!! Não tem música???? Não tem Beatles?” Claaaaaro que tem, né?? Com vocês, Paul e a música que ele compôs especialmente para o Meat Free Monday. Enjoy!

Curtiu? Tá querendo saber mais? Alguns sites:

Meat Free Mondays (em Inglês)

Vista-Se  

Receitas Vegetarianas

Sociedade Vegetariana Brasileira

E no Twitter:

@MeatFreeMonday 

@SVBnacional 

@govegbr 

@vidavegetariana 

Sigam a tag: #DiaMundialSemCarne

Todos juntos agora! All together now! #Dia Mundial Sem Carne 

 

 Por Elaine C A Barbosa