Arquivo da categoria: Notícias Beatlemaníacas

Fique por dentro de tudo que rola a respeito dos Beatles na internet.

novoahttp://www.beatlescollege.wordpress.com

Anúncios

De McCartney para Hendrix

Paul McCartney pretende retribuir a homenagem que ganhou de Jimmy Hendrix nos anos 60. Mês que vem, acontece mais uma edição do Isle Of Wight Festival, na Inglaterra, onde o lendário guitarrista protagonizou um de seus maiores shows décadas atrás e Paul é a atração principal do line-up. 

“Eu sempre ouvi grandes coisas sobre esse festival e tem muita história aqui com personalidade como Jimi Hendrix tocando lá na primeira vez. Vai ser meu primeiro show no Isle of Wight e espero uma noite de muito rock n’ roll”.

O ano era 1967, e o Sgt. Pepper’s estava sendo lançado numa sexta-feira. No sábado, Jimi já havia decorado todas as letras e tocou a música tema no show que fez no Saville Theatre em Londres, quando Paul (e George) estavam na platéia. Foi com o argumento de retribuir esta homenagem no festival onde Jimi virou marca registrada que o organizador do evento, John Giddings, conseguiu convencer Paul a tocar este ano.

“Levou seis semanas para que Paul concordasse em tocar esse ano. Mas agora ele vai saber o que Jimi Hendrix sentiu há tanto tempo atrás.” 

Curiosidade: no mesmo ano em que Jimi tocou no festival, Gilberto Gil também se apresentou, só que dois dias antes.

O show do Beatle está marcado para fechar o festival no dia 13 de junho e espera-se que o tributo venha na forma de um cover de Foxy Lady. E a gente aqui já pensando numa homenagem bem mais criativa

“Hey, Jude! Onde é que você vai com essa arma aí na mão?”

FONTE

Por João Resende

Mas, mas, mas…

Paul ainda não assistiu ao filme Nowhere Boy, que tem estréia prevista nos EUA para . Mas já há algo que lhe incomoda no filme. Enquanto Aaron Johnson interpreta John Lennon, é o ator Thomas Sangster, aquele que fazia o menininho apaixonado de “Simplesmente Amor”, quem está no papel de McCartney nos primeiros anos de banda. Só que a diferença de altura dos dois Beatles no filme não condiz com a realidade

“Ainda não assisti ao filme, mas me falaram que eu estou bem. Mas sabe o que te me incomodado um pouco? Meu personagem, o ator que me interpreta, é mais baixo que o do John! Eu não gosto disso. Por favor, eu tenho a mesma altura de John! Coloque o John mais baixo ou me bote de salto alto!”

Ok, da altura Paul já reclamou. Mas depois de ver o filme, estou achando que ele vai ter mais para dizer…

“Mas o meu olho blábláblá..!”

FONTE

Gostou desse? Então asssita ao trailer de Nowhere Boy.

Por João Resende

Money (That’s What I Want)

Os Beatles andam bombando para todos os lados. Inclusive nas campanhas publicitárias. Atualmente, temos dois comerciais no ar usando temas desse universo. O primeiro é do Banco Itaú, usando Imagine de John Lennon.  

E o segundo o Blackberry, com All You Need is Love.

Não sou muito a favor de usar Beatles em publicidade, ainda mais quando distorce o sentido original da música. Lá fora, isso já deu um problema danado para Yoko e Sean Lennon quando John foi usado em um comercial da Citroen.

Mas se olharmos por outra ótica, não estariamos sendo fundamentalistas demais? Afinal, o que nos incomoda é uma espécie de agressão ao sagrado. Como no caso das imagens religiosas que jamais podem ser usadas em desfiles carnavalescos.

Bem, é uma longa discussão. Deixo o espaço aberto dos comentários para sua opinião.

Veja outras campanhas publicitárias que já usaram temas Beatles.

Por João Resende

O maior momento de Peter Frampton

Ao comemorar, recentemente, 60 anos de idade e quase 45 de música, Peter Frampton foi perguntado: qual foi o momento máximo de sua carreira?

“O grande momento de minha vida foi quando sentei no Abbey Road Studios ao lado de George Harrison. Estávamos eu à esquerda e ele à direita observando Phil Spector na cabine, era 1971 eu acredito. Eu tinha acabado de deixar o Humble Pie e gravei alguns trechos acústicos no ‘All Things Must Pass’ e entre uma música e outra eles tinham que trocar os tapes, o que levava de 10 a 15 minutos, daí eu e George ficávamos fazendo uma Jam”.

Em homenagem ao aniversário do compositor grandes hits como “Baby I Love Your Way”, aqui vai ele tocando uma música do amigo Beatle. A gravação não é muito boa, ma seu escolhi essa por ser ao vivo.

Show the way, Pete!

FONTE

Por João Resende

John, isso está bom?

Da entrevista que Paul MccCartney deu ao jornal Daily Record , muita gente ficou espantado com a declaração dele de que hoje talvez os Beatles pudessem se reunir. Mas o Beatles Examiner prestou atenção em outra frase que, sinceramente, é bem mais marcante.

“Hoje, se eu escrevo uma música, estou sempre checando na minha mente, ‘Será que o John deixaria eu escrever este verso ou é muito sem graça? Às vezes, eu até penso, foi mal (John), mas a música é minha. Mas eu sempre estou checando com ele na minha mente.”

Bonito pensar que a parceria Lennon-McCartney ainda existe, mesmo que seja em sentimento e espírito. Mas estranho ver também que Paul ainda guarda certas lembranças pesadas como o velho e aguçado senso crítico de John. Imagina você ter composto uma música de amor melodiosa, ir dormir tranquilamente e, no meio do sonho, tem uma visão dessas?

Acordo na hora!

FONTE

Por João Resende

Gary Wright e Ringo em “Satisfied”

O primeiro single do novo álbum de Gary Wright, “Connected”, foi lançado digitalmente no dia 18 de maio.  was released digitally on May 18th. O nome da canção é “Satisfied” e tem a participação muito especial de Ringo Starr na bateria. Além dele, Joe Walsh Jeff ‘Skunk’ Baxter participam tocando guitarra.

“Logo antes de começar minha turnê com a banda do Ringo em 2008, eu comecei a escrever o que viria a ser esse novo álbum de estúdio. Queria que tivesse a mesma direção do meu álbum The Dream Weaver; sem produção demasiada.”

E como ninguém ainda teve a sagacidade de colocar a nova faixa no youtube, comemoramos a ocasião justamente com a canção homônima ao CD que Gary mencionou na delcaração. Em 2008, Gary Wright toca The Dream Weaver co, Ringo em sua turnê com a All Star Band.

FONTE

Por João Resende