Rickenbacker 4001S Fireglo

.

Esse baixo foi especialmente feito para Paul em 1964 e foi o primeiro baixo canhoto que a Rickenbacker produziu. Ele possui acabamento Fireglo e corpo maciço. Paul recebeu esse baixo no concerto dos Beateles no Hollywood Bowl, em agosto de 1964, mas só o usou primeira vez no dia 24 de outubro de 1965, quando os Beatles gravaram “I’m Looking Through You”. Ainda nas sessões do álbum “Rubber Soul”, Paul o usou em “Think For Yourself, a pedidos de George Harrison. Nessa música, Paul gravou dois baixos, sendo um deles com pedal Fuzz.

Após isso, Paul usou o baixo nas gravações do single “Paperback Writer”/”Rain”, em 1966, apesar de ele ter usado o Hofner nos vídeos promocionais de ambas as músicas. As gravações começaram no dia 13 de abril, com dois takes de “Paperback Writer”, e se extenderam até o dia 16. Nas sessões do disco “Revolver” Paul o usou nas seguintes músicas: Taxman, Here There and Everywhere, Yellow Submarine, Good Day Sunshine, And Your Bird Can Sing, For No One, Dr, Robert, I Want to Tell You, Got to Get You Into My Life e Tomorrow Never Knows.

Ainda em 1966, Paul levou esse baixo como reserva nas últimas tournês dos Beatles, mas não chegou a usá-lo. Existem registros desse baixo no backstage do show no Circus Krone, em Munich, no dia 24 de Junho de 1966.

No ano seguinte, Paul usou o baixo em toda a gravação dos álbuns “Sgt. Pepper’s Lonely Hearts Club Band” e “Magical Mystery Tour”, além de usar nos single lançado naquele ano, “Penny Lane””/”Strawberry Fields Forever”. Porém, nas gravações do “Magical Mystery Tour”, Paul fez uma pintura no seu Rickenbacker, assim como John e George haviam feito nos seus intrumentos (John no seu violão Gibson Jumbo e George na sua Fender Stratocaster). Quem pintou o baixo foram os caras da The Fool, que também fizeram o encarte psicodélico do “Sgt. Pepper’s” e, mais tarde, pintariam o prédio da Apple Boutique. O baixo com a nova pintura pode ser visto na cena de “I Am The Walrus”, do filme “Magical Mystery Tour”, na transmissão de “All You Need Is Love” e nos promos de “Hello Goodbye”.

Em fevereiro de 1968, Paul usou o ‘Rick’ nas sessões de “Across The Universe”, “Hey Bulldog” e “Lady Madonna”, como pode-se ver nos videos promocionais. Mais tarde, nas sessões do “White Album”, ele usou o baixo em Back in the U.S.S.R., Dear Prudence, The Continuing Story of Bungalow Bill, Happiness is a Warm Gun, Martha My Dear, I’m So Tired, Piggies, Don’t Pass Me By, Why Don’t We Do It In The Road, Everybody’s Got Something To Hide Except For Me and My Monkey, Long, Long, Long, Savoy Truffle e Cry Baby Cry.

Em janeiro de 1969, o Rick foi usado durante os ensaios para o projeto “Get Back”, que acabou por se tornar “Let It Be”. No cena do filme aonde os Beatles tocam “Two Of Us” podemos ver o baixo, já raspado, com a cor da madeira natural, encostado na bateria de Ringo. O baixo foi usado também nas sessões do “Abbey Road”, nas músicas:  Come Together, Octopus’s Garden, Here Comes the Sun, Because, You Never Give Me Your Money, Polythene Pam, She Came In Through The Bathroom Window e The End.

Em 1970, quando os Beatles voltaram aos estúdios para dar os últimos toques no “Let It Be”, Paul usou esse baixo. Ele também gravou praticamente todo o seu álbum de estréia com o Rick 4001.

Paul possui esse baixo até hoje e usou constantemente ao longo de sua carreira solo. O baixo virou quase marca registrada dos tempos dos Wings, sendo usado em todas as tournês da banda até 1976. Mais tarde ele foi visto em alguns vídeos e apresentações, mas com menos frequência.

Por Vítor Franke.

Anúncios

10 Respostas para “Rickenbacker 4001S Fireglo

  1. Noooossa!! Quantos detalhes, adorei, parabéns..

  2. Acho esse baixo maravilhoso, tanto no som quanto no design.

  3. Parabéns, caro colunista q não conheço e nem tenho idéia de quem seja, amei a matéria

    Meu sonho esse baixo *__*

  4. bicho, que beleza a história, no Sgt peppers tem um cara que toca com ele! ele tem o bichinho desde 1997, que sonzaço!

  5. por incrível que pareça, eu estava procurando sobre baixo do Paul hoje de tarde… coincidência… e me perguntava em quais albuns ele teria usado… agora já tenho as respostas… eu adoro o Rickenbacker… principalmente se for preto inteiro… acho que o Paul devia voltar a usá-lo nos shows… pelo menos nas músicas dos Wings… seria demais…

  6. Excelente post.

    Parabéns!

  7. Uau…
    Nossa pessoal, vocês são feras mesmo!
    Onde eu acharia um post como esse, com esse texto d+ e umas fotos tão bacanas???
    só aqui!

    PARABÉNS!!!!

    Abraço a todos, Tomás

  8. Edcarlos da Silva

    Ótima matéria, Vitor! Parabéns.

    Esse baixo é demais mesmo. Paul deveria voltar a se apresentar com ele.

  9. Vitor, gostei muito da explicação sobre a bateria. Vc saberia me dizer qual o nome da fonte usada para escrever o nome Beatle?

    li em algum lugar que era a fonte Bottle, será?

  10. Este contrabaixo é um cálice sagrado do rock. Os melhores baixistas do mundo tocaram com ele. Ter um 4001 ou um 4003 é um privilégio para poucos. É um instrumento que conta a história do rock com alguns acordes. Já toquei com ele e posso dizer que é uma emoção pue poucos contrabaixos podem produzir. Altamente versátil já embalou diferentes sons. De Beatles a Motorhead. De Yes a Outkast. Um mito.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s