Em nome de Lennon, McCartney e do Harrison Ringo, amém.

Mais de 5 twitters ontem enviaram estas notícias pra gente, tamanha a repercussão que causou anúncio do perdão do Vaticano aos Beatles, 40 anos depois. Well, primeiro de tudo eu queria dizer que esse nome que leva o jornal oficial do Vaticano, me dá medo.

Tem alguém te observando…

Em relação à notícia, tem vários aspectos a serem abordados. O primeiro deles, para quem não é tão conhecedor da causa, é que Lennon jamais disse uma mentira, muito menos algo que fosse direcionado a ferir a Igreja. Ele  somente fez uma declaração a uma amiga jornalista, dentro de um contexto, onde constatava que, naquele tempo, os Beatles exerciam mais influência sobre a juventude do que Jesus, e ele não sabia qual dos dois duraria por mais tempo. Alguma inverdade nisso?

Você não acha que essa confusão era uma fila para pegar a eucaristia, acha?

Seis meses mais tarde, uma repórter bem espertinha capturou a declaração de Lennon, somente aquela bendita frase, e publicou na capa de uma revista teen. Descontextualizou completamente o que ele queria dizer e assim criou um novo sentido. Isso é facílimo de fazer! Quer ver? Se liga nessa entrevista da Sandy à contigo, no final de 2008:

Vamos agora abalar o casamento da cantora com uma frase que ela mesmo disse?

Há, crise instalada!

O fato é que o Vaticano vem agora, 40 anos depois, perdoá-los porque apesar de “se acharem maiores que Jesus e divulgarem mensagens satânica, o que seria da música pop se os Beatles?” Ótima sacada! Como os velhinhos de lá são bonzinhos, né? A gente vai pensar se vai perdoar a Igreja também por, desde sempre, estimular o fundamentalismo e acabar por gerar reações  como essas:

E quem sabe, daqui há 40 anos, as vítimas de pedofilia de hoje terão maturidade o suficiente para perdoá-los também, né? Se a declaração de Lennon tivesse sido dada hoje em dia, nem um terço das reações da época seria igual. Ouso a dizer que existem declarações capazes de te irritar muito mais à primeira vista:

Sinceramente, ser mais popular que Jesus Cristo hoje em dia não é tarefa difícil não.

Abu, Barney, Homer e Skinners que o digam.

Por João Resende

Anúncios

14 Respostas para “Em nome de Lennon, McCartney e do Harrison Ringo, amém.

  1. Ai gente, não sei porque, mas quando eu vi “Cristiano Ronaldo” ali em cima, meus olhos desceram automaticamente. Não gosto dessa cara, haha.

    E vi esse negócio do vaticando “perdoando” e “elogiando”…enfim: até tu, brutus?

  2. Elaine C A Barbosa

    Eu deixo claro aqui que como educadora, nem daqui 40 anos perdoarei o Vaticano por não punir a pedofilia que acontece dentro das igrejas…
    E quero dizer que Porra, Cristiano Ronaldo! Depois os portugueses declaram que gostam mais do Messi e ninguém sabe porque, né?
    Pronto! Não perdoo… Uuuuui, será que vou pro inferno???

  3. Também quero deixar claro que não perdoarei o Vaticano pela falta de punição a pedofilia. E que o Cristiano Ronaldo discutindo sobre música, omg ninguém merece! UAHUAHAU

    João cara, estupendo o post! Abraço!

  4. POST EXCELEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEENTE. nossa! como vcs conseguem ser tão geniais? *-*

    notícia interessantíssima, valeu!

    • Elaine C A Barbosa

      Assim, Vitória: geniaaaaaais, geniaaaais mesmo eram John, Paul, George e Ringo… Nós somos só bem malucos viciados em música boa, e contamos com os MELHORES leitores do mundo, que mandam sugestões BOMBÁSTICAS como essa 😉

  5. Ótimo post indeed!

    Ah, e quanto ao “perdão” do Vaticano… Na boa, alguém precisava disso? O John não disse nada de mais, se fosse uma mentira, ou dizer que é pecado usar camisinha… Esse pessoal não sabe mais o que falar, mesmo.

  6. E quem disse que o perdão do Vaticano é alguma coisa? Só quem pode realmente perdoar é Deus, pois ele que realmente sabe o coração de John e o que ele quis dizer com isso. Oras!
    Vat.. what?!?!?!?!

  7. É, pra mim a igreja cai cada dia mais….

    “Você não acha que essa confusão era uma fila para pegar a eucaristia, acha?” heuehu adorei!!

  8. Um bom “time” nunca foi o forte da ICAR, é só reparar quanto tempo depois ela se manifestou sobre o holocausto na II Grande Guerra.
    Depois, tem essa velha mania da Sé de achar q ainda tem a mesma relevância q tinha na Idade Média, onde ela mandava no quintal religioso e secular.
    é mta arrogância pretender perdoar alguém q nunca teve q pedir perdão por nada.
    cansa minha beleza. 😀

  9. Os Beatles é que deveriam perdoar o Vaticano! Aliás, não deveriam perdoar, não! Deveriam ignorar uma instituição que abriga pedófilos.
    Aquele abraço!

  10. Triste é um jogadorzinho de futebol blasfemar desse jeito. Tá certo Oasis é uma baita banda, mas nada, nem ninguém bate o FabFour! NADA!

  11. o que passou, passou. não há razão pro Vaticano pedir perdão agora, nem pra ninguém perdoar. lennon não disse nada demais, a frase dele foi distorcida e colocada fora de contexto e bons entendedores sabem disso. infelizmente o caos causado a 40 anos atrás aos Beatles não vai ser desfeito, não é? e sobre o Cristiano Ronaldo.. pelo amor de deus, tenha dó. AUEOIAUIOEAUOI valeu!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s