With the Beatles: Conquista definitiva da Inglaterra e início da Beatlemania

Apenas oito meses após o lançamento de Please Please Me, chegava às lojas da Inglaterra o novo álbum dos Beatles.

Lançado em 22 de novembro de 1963, With the Beatles apresentava as mesmas características do disco anterior, alternando as composições próprias com covers que a banda já tocava em seus shows. O grande diferencial do 2º disco está no entrosamento da banda em estúdio.

Mesmo com o grande sucesso que o 1º álbum fazia na Inglaterra, os Beatles ainda se apresentavam como banda de apoio, abrindo os shows para outros artistas, como Roy Orbison e Helen Shapiro; mas até o final da turnê, a banda já era a principal atração da noite, se apresentando também em vários programas de TV. Todo esse sucesso fez com que a gravadora permitisse um tempo maior para a produção do novo disco, possibilitando o uso de novos recursos e técnicas de estúdio.

Entre 18 de julho e 23 de outubro de 1963, os Beatles e o produtor George Martin gravaram 7 canções da dupla Lennon & McCartney, 6 covers e 1 canção de George Harrison, sua primeira composição para a banda; totalizando as 14 faixas que entrariam no álbum With the Beatles:

It Won’t Be Long – (Lennon–McCartney)
Gravação: 30 de julho de 1963

Pop-rock com influências de rhythm & blues, composto por John Lennon. Seria lançado em single, mas decidiram que seria canção certa para abrir o disco. John faz o vocal principal e Paul e George fazem os backing vocals que dão um charme especial à canção.

All I’ve Got To Do – (Lennon-McCatney)
Gravação: 11 de Setembro de 1963

Belíssima balada composta e cantada por John. Ringo inova sua batida e faz um acompanhamento mais marcante, que foi chamado posteriormente de “power-pop”.

All My Loving – (Lennon-McCartney)
Gravação: 30 de julho de 1963

Um rhythm & blues com toques de rockabilly. Composição de Paul, que além de cantá-la, faz uma das linhas de baixo mais marcantes de sua carreira. Foi a canção de maior sucesso do álbum e ainda hoje é um dos maiores hits dos Beatles.

Don’t Bother Me – (Harrison)
Gravação: 12 de Setembro de 1963

George Harrison escreveu a canção no hotel Bournemouth, enquanto a banda estava em turnê e ele se recuperava de um resfriado. George diz que começou a escrever pra praticar e estando doente, tudo que ele queria dizer era “Não me aborreça”. Além dos instrumentos habituais, a gravação ainda contou com um bongô tocado por Ringo e um pandeiro tocado por Paul.

Little Child – (Lennon-McCartney)
Gravação: 12 de Setembro e 03 de Outubro de 1963

O rockabilly de John, que além de fazer o vocal principal e a guitarra-base, também toca harmônica (gaita de boca). Paul toca baixo e piano.

Till There Was You – (Willson)
Gravação: 30 Julho de 1963

O primeiro cover do disco é uma composição de Meredith Willson para o musical “The Music Man”, de 1957. Muito bem interpretada por Paul e com um belíssimo solo de violão de George Harrison.

Please Mister Postman – (Dobbin-Garrett-Garman-Brianbert)
Gravação: 30 de Julho de 1963

John faz o vocal principal nesse cover do grupo “The Marvelettes”. A canção ficou imortalizada na década seguinte, com os “Carpenters”.

Roll Over Beethoven – (Berry)
Gravação: 30 de Julho de 1963

George faz o vocal principal e o poderoso solo de guitarra da canção gravada originalmente em 1956 por seu autor, Chuck Berry.

Hold Me Tight – (Lennon-McCartney)
Gravação: 12 de Setembro de 1963

Rhythm & blues composto por Paul com a ajuda de John. A canção chegou a fazer parte das sessões de gravação de Please Please Me, mas a gravadora perdeu a fita e eles tiveram que grava-la novamente.

You Really Got A Hold On Me – (Robinson)
Gravação: 18 de Julho de 1963

Uma balada com toque de blues. Composta por Willian “Smokey” Robinson e gravada originalmente em 1962 pelo grupo “The Miracles”. A belíssima interpretação, cheia de “feeling”, mostra que a banda também sabia escolher bem os covers que seriam gravados.

I Wanna Be Your Man – (Lennon-McCartney)
Gravação: 11, 12, 30 de Setembro, 03 e 23 de Outubro 1963

A composição foi feita especialmente para os Rolling Stones gravarem e chegou ao primeiro lugar nas paradas. Aqui, Ringo é quem canta.

Devil In Her Heart – (Drapkin)
Gravação: 18 de Julho 1963

George canta a canção composta em 1962 por Richard Drapkin, para o grupo feminino “The Donays”.

Not A Second Time – (Lennon-McCartney)
Gravação: 11 de Setembro 1963

O vocal de John foi dobrado (overdub) e na parte final da música, quando ele canta “Not a second time; no, no, no, no, no, not a second time…” a melodia é igual à parte final de All I’ve got to do. Em meio a tantas canções marcantes, Not a second time ficou praticamente esquecida no disco.

Money – (Bradford-Gordy)
Gravação: 18, 30 de Julho, 30 de Setembro 1963

O cover escolhido para fechar o disco foi um grande sucesso de Barret Strong, em 1960. John Lennon no vocal principal encerra With the Beatles com um puro rock and roll, acompanhado de George Martin no piano.

Na capa do disco, os Beatles pousam em meia-luz para o fotógrafo Robert Freeman; lembrando as fotos tiradas por Astrid Kirchherr (fotógrafa alemã que namorava com Stuart Stucliffe nos tempos de Hamburgo). Esta foto se tornaria muito copiada em todo mundo; inclusive por Roberto Carlos, em seu disco de 1966.

Nenhuma das 14 faixas de With the Beatles foi lançada em single (compacto com uma música de cada lado). Para atender esta exigência, a banda ainda gravou duas canções em 17 de outubro de 1963: “I want to hold your hand” e “This boy”, lançadas em 29 de novembro de 1963. Este single chegaria ao primeiro lugar também nos Estados Unidos, dando início à conquista da América.

With the Beatles permaneceu em primeiro lugar nas paradas por 21 semanas e foi o primeiro disco de rock a superar um milhão de cópias vendidas na Inglaterra.

Após seu lançamento, John Lennon e Paul McCartney são eleitos como melhores compositores de 1963, aumentando o número de vendas e também os compromissos da banda. Era o início do movimento apropriadamente chamado de “Beatlemania”!

Gostou desse? Veja a análise comentada de Please, Please Me

Por Edcarlos da Silva

Anúncios

6 Respostas para “With the Beatles: Conquista definitiva da Inglaterra e início da Beatlemania

  1. Eu sou loucamente apaixonada por Not A Second Time. Sério. Por mais esquecida que seja, é uma das minhas preferidas de todas as músicas. Amo, amo, amo.

    Amei a matéria! Muito explicativa.

  2. amooo esse album… a foto tem um ar mistico que eu adoro nos beatles… amo i wanna be your man ainda mais porque quem canta (di acordo com as informações acima) é o meu preferido Ringo… tambem amo all my loving que pra mim é como se fosse uma declaração de amor… um exemplo:
    All my loving I will send to you
    All my loving, darling, I’ll be true

    Todo meu amor, eu mandarei pra você
    Todo meu amor, querida, eu serei verdadeiro

    mesmo com esse ritimo dançante acho ela uma poesia

  3. Bacanaaaa, hehe. Todos os discos são pérolas…

  4. Adorei! Deviam fazer dos outros discos também!
    Mas estão de parabéns.. :}

  5. Excelente trabalho.
    Entendo que o grande trunfo deste álbum é explorar os covers de músicas de negros, algo não muito comum na Inglaterra no ínício dos anos 60.
    A banda mostrou de onde são suas raízes musicais e apresentou material próprio de excelente qualidade.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s